Um olhar crítico sobre a baixada santísta e o mundo

3.11.05

A vida imita...o video game


Para quem (assim como eu) cresceu jogando video games deve certamente lembrar do jogo de luta Street Fight. Realmente esse joguinho de luta entrou para para a história. Era muito divertido!

O mais curioso desse jogo eram dois lutadores que tinha o peculiar golpe chamdo hadoken, que consistia em lançar um “bola de energia” no oponente. Era um tipo de golpe a distância que atingia o adversário.

Pois bem, não é que existe mestres de artes-marcias alegando ter esse poder realmente.

O mais famoso deles é George A. Dillman. Além de alegar conhecer pontos específicos do corpo que quando tocados (mesmo levemente) podem até matar o oponete, ele também alega poder lançar um hadoken nos adversários e derruba-los. Para “provar” tal feito ele aplica essa “técnica” nos seus alunos...e, olhem só, funciona. Eles caem que é uma marivilha...:-)












Só tem um problema. Quando uma pessoa de fora da sua academia, como por exemplo um jornalísta (sério), cientísta etc, pede para ser atinginda pelo tal golpe nada acontece.

Então, o que acontece com os seus alunos que caem devido ao golpe a distância do mestre Dillman? Eles estariam fingindo? Apesar de não podemos descartar essa hipótese, o mais provável é que elas estejam apenas sendo influenciadas psicologicamente (algo como uma sugestão hipnótica) e acabam acreditando que foram atingidas e...caem! A mesma auto-sugestão que podemos ver nas sessões de descarrego da IURD em outras situações de cunho religiso.

O vídeo abaixo mostra uma repostagem onde um outro mestre de artes-marciais alega ter o mesmo poder. Em um dado momento a reposter pede para o mestre aplicar o golpe a distância nela. Mas nada acontece!

http://tooshocking.com/index.php?ns=view_vid&id=692

1 Comments:

Blogger widson porto reis said...

James Randi tem um comentário muito engraçado no seu site postado por alguém que assistiu a demonstração de Dillman em um programa da National Geographic.

Quando o super golpe não funcionou Dillman explicou que isso foi porque o adversário não acreditava nele. Disse também que dependendo da posição da língua ou dos dedões (!!) o golpe não funcionaria. Não é alguma coisa na qual eu confiaria a minha defesa....

Widson

12:43 AM

 

Postar um comentário

<< Home