Um olhar crítico sobre a baixada santísta e o mundo

19.1.06

Meu encontro com um “paranormal”

No ano passado, a lista de discussão Ceticísmo Aberto, da qual faço parte, recebeu um novo integrante. Uma pessoa no mínimo estranha que afirmava coisas incríveis como “o conhecimento dos índios foi ensinado por espíritos de outros planetas e dimensões...”, em uma clara mistuta de espiritísmo e ufologia. Ele também alegava que os extraterrestres estão visitando a Terra, e que fenômenos paranormais existem com certeza, além de dar “explicações” completamente distorcidas da ciência, tendo como vítimas principais a física, a astronomia e a antropologia.

Nesse ponto, muitos da lista começaram a debater com ele, tentando explicar os conceitos científicos corretos que ele deturpava, sobre a falta de evidência sérias para acreditarmos em “discos voadores” e "fenômenos paranormais”, sobre a origem natural do conhecimento indígena etc.

Ele nos respondeu com as acusações clássicas: “vocês céticos tem a mente muito fechada”; “já existe sim prova científicas para essas coisas que falo”...quantos vezes eu já ouvi isso...:-)

Foi quando ele começou a declarar que não só acreditava em fenômenos paranormais, como ele próprio era um paranormal e que sabia fazer coisas incríveis como materializar pedras, transpirar perfumes pelas mãos, entortar talheres entre outros coisas(!).

Nesse ponto resolvi pesquisar sobre essa pessoa e descobri que ele morava aqui em Santos! Não tive dúvida, encaminhei à lista do CA um convite para nos encontrarmos e que ele pudesse demonstrar o que alegava fazer. No meu convite eu propus que nosso encontro fosse numa sala VIP de um restaurante aqui de Santos, e que a apresentação dele consisteria em 3 etapas. Na primeira fase ele apresentaria tudo o que alegava fazer como quissese, sem nenhuma restrição minha. Na segunda fase eu começaria a impor algumas condições de controle, como entortar uma colher dada por mim para que eu pudesse descobrir um eventual fraude. Na terceira e última etapa as condições seriam realmente rigorosas, como por exemplo materializar um pedra dentro de uma garrafa previamente selada por mim.

Pois bem, o nosso amigo aceito publicamente o meu convite com algumas resalvas, “não poderemos nos encontrar na sala VIP do restaurante por que só consigo manifestar meus poderes perto da natureza. É dela que retiro a energia necessária”.
Aceitei essa condição sem nenhum problema (notem a minha boa voltade). Então sugeri que o encontro fosse no Orquidário Municipal de Santos. E assim foi feito.










Orquidário de Santos



No dia, hora e local combinado nos encontramos. O show dos horrores iria começar!

Na primeira hora do encontro ele explicou a origem dos seus “poderes”: ele retiva a “energia” dos prótons "soltos" no ar e que era necessário acelerar seus “chacras” e tomar muita vitamina C por causa do extremo esforço físico que fazia quando utilizava seus "poderes"... entre outros disparates.

Revelou que fazia parte do grupo
Projeto Portal liderda por Urandir Fernandez, um notório charlatão. O que para mim foi um choque pois conhecia bem a história desse sujeito e dos seus seguidores.

Ele apresentou fotos onde, segundo ele, apareciam os “dimensionais” (seres de outra dimensão), mas que na verdade eram fênomenos óticos já amplamente conhecidos como
ORBS , fotos de um Pé-grande flagrado na mata da fazenda do Projeto Portal e uma foto 3x4 de uma extraterrestre que o grupo do Urandir teria tirado em um apartamento em São Paulo!!.

Falou também que na fazenda do Urandir havia uma lagoa que era capaz de regenerar as amídalas das pessoas, e que inclusive tinha provas científicas disso, mas quando perguntei se poderia ver essas provas ele mudou de assunto e explicou: “você sabe, né? Nós falamos através da amídalas. Os ET´s que nos visitam aqui na fazenda falam numa frequência muita baixa por causa das suas amídolas minúscolas...” . Nessa hora ele ficou um pouco constrangido porque expliquei que "na verdade nós falamos através das cordas-vocais e não das amídalas. Eu inclusive já retirei as minhas quando criança e continuo falando sem problemas".

Ele também trouxe várias pedrinas que ele teria materializado anteriormente, mas que decepcionalmente eram idênticas às pedras que podem ser encontradas na região da fazenda do Urandir e que são velhas conhecidas dos geólogos por terem um curioso formato que lembra um disco voador.







Pedras recolhidas
na fazenda do Urandir


Quanto à demostração dos seus poderes ele deixou por último. Mas apesar de eu ter ficado esperando por alguma coisa, qualquer coisa, por mais de 2 horas (vejam o tamanho da minha paciência) ele não conseguiu passar nem pela primeira fase, que consistia em ele apresentar seus poderes sem nenhuma restrição da minha parte!

Toda a história parece cômica contada agora, mas confeso que fiquei assustado com tanta credulidade. Ele claramente, e sinceramente, acreditava em tudo que falava; e o pior, acreditava em tudo que o charlatão do Urandir “ensinava” pela bagatela de R$ 600 que incluia o transporte, alimentação e hospendagem na sua fazenda, palestras, apostilas e... contatos imediatos com ET´s, dimensinais e o pé-grande!

Isso me convence, mais uma vez, da necessidade urgente de se divulgar o pensamento crítico entre população. Fica aqui o alerta.

3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

São pessoas loucas que nem esse "paranormal",que entram num avião cheio de gente e jogam contra um prédio,por que acreditam(não conhecem ninguém que voltou da morte,mas acreditam mesmo assim)que tem 7 virgens no "céu" esperando por eles.Só tem retardado nessa terra.

3:18 PM

 
Anonymous SubHeaven said...

Putz! Meus parabéns, tanto pela seriedade quanto pela paciência em "dar uma chance" ao rapaz.

11:40 AM

 
Anonymous Anônimo said...

BRUXO VIADÃO DE SANTOS BESTA HUMANA!!

QUEM CONSEGUE LER AS MERDAS QUE VOCE ESCREVE COM ESSAS MERDAS DESSAS LETRAS NA COR AMARELA IGUAL A COR DA MERDA QUE TEM EM TEU CÉREBRO DE MERDA HEIN SEU MERDA DE SANTOS??

8:27 PM

 

Postar um comentário

<< Home