Um olhar crítico sobre a baixada santísta e o mundo

1.2.06

Caminhando com Monstros

Em sua evolução, a Terra já passou por momentos onde criaturas e plantas eram tão extraordinárias que qualquer pessoa acreditaria estar contemplando outro planeta. Em fevereiro, o Discovery Channel transporta os telespectadores a este mundo dominado por gigantescos escorpiões e répteis pré-dinossáuricos.

Dividida em três partes, Caminhando Com Monstros acompanha a história das bizarras criaturas que dominaram o nosso planeta milhões de anos antes dos dinossauros. A série apresenta a surpreendente verdade sobre a origem da vida na Terra e sobre como os humanos devem sua existência a “monstros” muito além da nossa imaginação. No período Cambriano (há 550 milhões de anos), surgem os predadores. Aparecem dentes, garras, bicos e todo tipo de armas. Foi uma era de grande variedade, onde incontáveis criaturas nadavam, andavam e rastejavam na água, incluindo oTrilobite, que deu origem aos caranguejos e insetos, e o Haikouichthys, ancestral de todos as criaturas com espinha dorsal.

Durante o Período Siluriano (há 410 milhões de anos), as criaturas marinhas começam finalmente a realizar suas primeiras incursões em terra. Os escorpiões foram o primeiro grupo a fazê-lo com êxito. Mas a era dos escorpiões terminou no Período Devoniano (há 360 milhões de anos), quando os peixes se tornaram os principais predadores. Alguns se aventuraram por terra e encontraram um meio ambiente tão atraente que suas barbatanas endureceram e dedos cresceram em suas pontas.

As plantas finalmente conseguem fixar-se no solo durante o Período Carbonífero (há 300 milhões de anos). Esta foi uma época de pantanais densos, libélulas de um metro de comprimento e enormes aranhas. O mais extraordinário de todos, porém, foi o Arthropleura – um animal que parecia uma centopéia de três metros, mas que se movia como uma anaconda. Um novo grupo de plantas e animais dominou após a era glacial do Período Permiano (há 280 milhões de anos) e que acabou com os pantanais. Entre eles, répteis que podiam tolerar condições climáticas secas e frias. O rei dos répteis era o Dimetrodonte, um gigante com barbatanas.
Finalmente, durante a última parte do Período Permiano (há 240 milhões de anos), a terra havia se transformado em um planeta deserto e a maior extinção em massa jamais vista aconteceu. Apenas cinco por cento dos seres vivos sobreviveram. Nesta época, o lento e herbívoro Lystrosouros representava oitenta por cento dos seres vivos.






Programação: de 3 a 5 de fevereiro sempre as 20h